CONHEÇA NOSSA LOJA!
Estudantes da rede pública  discutem DST/Aids

[vc_row][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]

O Programa Estadual de DST/Aids da Secretaria de Estado da Saúde (SES) participou na manhã desta sexta-feira, 29, do II Encontro de Participação Juvenil no Programa Saúde nas Escolas (PSE) e Saúde e Prevenção nas Escolas (SPE). O evento é promovido pelo Governo do Estado, por meio das Secretarias de Estado da Saúde e Educação (Seed) com o objetivo de formar jovens multiplicadores sobre prevenção e reflexão das DST/Aids, hepatite B e pré-natal para evitar a sífilis congênita.

Para conduzir as discussões junto aos estudantes, a SES escalou o médico e gerente do Programa Estadual de DST/Aids, Almir Santana, que sugeriu temas relevantes a serem discutidos entre os jovens nas comunidades onde vivem. “Temos que fazer com que eles incentivem, por exemplo, as colegas gestantes a realizarem o pré-natal para evitar que o bebê seja afetado por sífilis congênita ou infectado pelo HIV”, afirmou Santana.

Em se tratando de prevenção e reflexão sobre HIV, Almir Santana destacou os 30 anos da descoberta da doença no mundo e lembrou um pouco da história da Aids. “No dia 05 de junho de 1981 foram descobertos, no Centro de Estudos de Doença de Atlanta, nos Estados Unidos, os primeiros casos da doença em jovens do sexo masculino”, contou.

Já a hepatite B foi explicitada pelo gestor da SES através da maneira como a doença é adquirida, conseqüências e importância da prevenção. “A hepatite B é uma doença silenciosa que pode levar o indivíduo à morte por cirrose hepática e câncer de fígado. Ela é transmitida através de sangue infectado, mães infectadas que passam para os bebês e por relação sexual sem camisinha. Este ano, a vacinação vai ser destinada aos jovens entre 11 e 24 anos e tem início nas escolas a partir do dia 13 de maio”, alertou.

Para Jore Oliveira, representante da União Sergipana Secundarista do grupo gestor do SPE, o tema tem que ser ampliado a partir da mobilização dos jovens na sociedade. “Os jovens unidos conseguem protagonizar mudanças na realidade e estas questões de saúde e prevenção tem que ser tema de discussão deles”, disse.

[/vc_column_text][/vc_column] [vc_column width=”1/3″][vc_column_text] [/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Comentários desabilitados