CONHEÇA NOSSA LOJA!

[vc_row][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]

Os festejos juninos em Sergipe serão comemorados até o final do mês, oportunidade em que muitos aproveitam para soltar bombas e fogos de artifício. Para que a festa não termine em tragédia, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) alerta para a importância de ter todo cuidado na hora de acender fogos e fogueiras.

Os acidentes com fogos de artifício são mais recorrentes durante essa época do ano. Por isso, é preciso que os pais fiquem atentos principalmente com as crianças. Além dos ferimentos superficiais, as ocorrências mais graves podem ocasionar queimaduras de terceiro grau, levando até a perda de partes do corpo. O superintendente do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192 Sergipe), Silas Lawley, explica sobre o manuseio correto desses produtos.

“A primeira recomendação é que os fogos sejam evitados ou, pelo menos, sejam acesos por adultos. Caso isso não seja possível, é importante não estourá-los próximo ao corpo e às residências, sempre usando um equipamento de proteção. Se a bomba estoura direto na mão, tem um risco do rojão não sair. Nunca se deve, também, verificar bem de perto se a bomba falhou. Ela pode estourar naquele exato momento, afetando o rosto diretamente”, ressalta o profissional.

Nos casos em que há acidente, ainda segundo Silas, a recomendação é que se lave o local atingido com água fria e corrente, por até 15 minutos, enrole em um pano limpo e úmido, e entre em contato imediatamente com o Samu ou leve o paciente até o Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), em casos mais graves.

“Jamais a pessoa deve colocar pomadas caseiras, manteiga, creme dental ou produtos do tipo sobre o ferimento lesionado. Também não se deve furar as bolhas na pele ou passar sabonete sobre o ferimento”, explica.

Registros

Segundo dados da Unidade de Tratamento de Queimados (UTQ) do Huse, somente nos primeiros 25 dias do mês, foram atendidas 69 vítimas de queimaduras, com 16 amputações. Dessas, três eram crianças. O número de amputações superou o do ano passado, que foi de 15 durante o todo o mês de junho. Nas noites de São João, considerando-se o período de 23 e 24, foram registrados 21 atendimentos. No mesmo período do ano passado, esse número foi maior: 32 atendimentos.

 

[/vc_column_text][/vc_column] [vc_column width=”1/3″][vc_column_text] [/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Comentários desabilitados