CONHEÇA NOSSA LOJA!
Relatório que esclarece denúncias feitas contra administração será levado ao Senado

[vc_row][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]O prefeito de Aracaju, Marcelo Déda, vai encaminhar ao presidente do Senado Federal, José Sarney, e a todos os demais senadores o relatório feito pela Secretaria Municipal de Controle Interno, que esclarece todas as questões levantadas pelo senador Almeida Lima acerca do convênio firmado entre a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e a Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) para limpeza e higienização das unidades de saúde da capital.

O mesmo relatório foi levado pessoalmente pelo prefeito ao Tribunal de Contas para apreciação na manhã de ontem, dia 30, logo depois da entrevista coletiva realizada no gabinete da prefeitura. “Assumimos os defeitos formais na elaboração do convênio e fomos mais rigorosos do que deveríamos ter sido na apuração de tudo”, destacou Marcelo Déda em entrevista à Rádio Atalaia na manhã de hoje, dia 31.

As falhas encontradas no convênio se referem a questões de nomenclatura dos serviços prestados pela Emsurb, como a troca entre os nomes capinagem e jardinagem, à elaboração de uma planilha única de cálculo do valor dos serviços para todos os postos, e ao pagamento duplicado da limpeza de uma das unidades. “Já mostramos os equívocos existentes à sociedade e ficou comprovado que não houve má fé e nem corrupção na execução do convênio, até porque a transação foi feita por dois órgãos municipais e esse dinheiro nunca saiu da prefeitura”, disse Déda.

O prefeito decidiu seguir todas as recomendações do relatório feito pela Controladoria do município, em parceria com os técnicos do Tribunal de Contas do Estado, e a Emsurb vai ressarcir a Secretaria Municipal de Saúde por todas as incorreções do convênio, num total de cerca de R$ 60 mil. “Vamos corrigir o erro. Mesmo assim, está mais do que comprovado que não existiu desvio de verbas públicas e que esta foi uma tentativa de fazer palanque eleitoral para o ano que vem. A tese de Almeida era que tudo iria acabar em pizza, mas como eu já disse antes, tudo o que foi apurado será sanado”, afirmou Déda.

Ele referiu-se à Lei Orgânica que determina que os ordenadores de despesa devem se responsabilizar pelos gastos administrativos. Neste caso, os ordenadores seriam os secretários municipais Rogério Carvalho (Saúde) e Osvaldo Nascimento (Emsurb). “Não houve corrupção e ficou clara a intenção política de vincular meu nome àquilo que não existe, até porque o prefeito não é ordenador de despesas. O interesse é desestabilizar e criar intriga para tomar do povo de Aracaju o governo da cidade”, frisou Marcelo Déda. “Almeida Lima precisou usar meu nome para ganhar notoriedade porque em nove meses de Senado ele ainda não conseguiu uma linha de notícia por algum trabalho sério que tenha feito”, falou indignado.

Durante a entrevista concedida à Rádio Atalaia, o prefeito foi questionado sobre a necessidade de afastar membros de sua equipe para evitar futuros transtornos e foi enfático. “Não vou afastar ninguém a não ser que haja novos fatos que justifiquem esta ação”, informou.

Ao final do programa, Déda reafirmou sua intenção de continuar trabalhando para as melhorias da cidade. “O senador quer que eu saia da prefeitura para fazerem investigações, mas ele nunca fez isso enquanto era prefeito. Até a idoneidade do Tribunal de Contas está sendo questionada pelo senador”, disse. “Quando o parecer do tribunal é favorável aos interesses dele, é idôneo, quando faz parecer favorável à prefeitura não presta?”, questionou.

Déda concluiu sua fala dizendo que não vai interromper suas atividades por conta das denúncias feitas por Almeida Lima. “Eles vão tentar fazer uma denúncia por dia e eu não posso parar a administração por isso. O que eu preciso é governar Aracaju para entregar obras como o calçadão da avenida Gasoduto, a orlinha do bairro Industrial, a praça Franklin Roosevelt, no bairro América, a praça do Siqueira Campos e tantas outras obras que a administração está fazendo e já fez nesta cidade”, ratificou o prefeito.[/vc_column_text][/vc_column] [vc_column width=”1/3″][vc_column_text]

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Comentários desabilitados