CONHEÇA NOSSA LOJA!

Com um investimento de mais de R$ 5 bilhões, a pedra fundamental da primeira Usina Termoelétrica do Complexo foi lançada nesta quarta, 28

Mais um sonho do ex-governador Marcelo Déda começa a ganhar forma. Na manhã desta quarta-feira, 28, foi lançada a pedra fundamental da Usina Termoelétrica (UTE) Porto de Sergipe I, a primeira das três unidades que irão compor o Complexo de Geração de Energia Governador Marcelo Déda. Com um investimento privado de mais de R$ 5 bilhões, o maior já registrado em Sergipe, o complexo está situado no município da Barra dos Coqueiros e terá capacidade para fornecer 1.5 Gigawatts de energia, tornando-se a maior usina termoelétrica da América Latina. Ao lado do presidente da GG Power, Marcos Grecco, e dos demais investidores do Complexo, o Governador Jackson Barreto destacou a importância da obra para o desenvolvimento do estado e também sua alegria pelo Complexo levar o nome de Marcelo Déda.

“Vocês estão testemunhando aqui um sonho que Marcelo Déda sonhou e que vocês estão vendo que continua cada dia mais forte e se concretizando. E esse sonho é de uma importância tão grande para o estado de Sergipe, que fizemos questão que estivessem conosco neste momento histórico”, afirmou o governador Jackson Barreto, dirigindo-se especialmente a Maria do Carmo Déda, irmã do ex-governador, e a Yasmin  e Luísa Barreto Déda Chagas, filhas, que representaram os familiares.  “Fico muito feliz com essa homenagem ao meu amigo, eternizando seu nome nesse Complexo. Sei que onde quer que ele esteja, está feliz, pois seguimos o seu desejo de plantar oportunidades e colher sorrisos”, ressaltou Jackson Barreto.

A previsão é que as obras durem 36 meses, gerando 1700 empregos diretos e indiretos neste período, e que em 2020 as atividades já estejam em plena operacionalização. Gerando energia a partir do gás natural, a termoelétrica vai promover o fortalecimento do Porto de Sergipe, por onde será feita a importação do gás, além de ser atração para novos investimentos. A UTE integra também um navio estação de regaseificação. Todo o projeto contou com o apoio do governo estadual por meio do Plano Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI). O governador Jackson Barreto classificou este como um dia histórico para o estado, pelo investimento e também pela cadeia de novos negócios a ser gerada em função da chegada do empreendimento que funcionará no antigo polo cloroquímico.

“Essa termoelétrica fará parte de um complexo de energia que terá o nome do governador Marcelo Déda e receber um investimento nessa envergadura é realmente acreditar no país e na potencialidade de Sergipe, nos investidores e, acima de tudo, na seriedade com que o Estado trata com investidores que trazem uma obra de tamanha envergadura, fundamental para o desenvolvimento e fortalecimento da nossa economia, para gerar emprego e dar orgulho ao povo sergipano”, destacou Jackson Barreto.

O presidente do Instituto Marcelo Déda, José de Oliveira Junior, que acompanhou todo o andamento do projeto, destaca o quanto o ex-governador Marcelo Déda se empenhou para trazer o empreendimento para Sergipe. “As tratativas dessa obra foram iniciadas pelo próprio Marcelo Déda ainda em vida. E Déda, enquanto Governador, era extremamente apaixonado por esse tipo de projeto, que pode trazer desenvolvimento e aumento da qualidade de vida para Sergipe. Déda chegou a conduzir algumas reuniões com os empresários, inicialmente, e determinou na ocasião que o Estado desse prioridade  e atenção a esse projeto, de modo a viabilizar sua implementação. Motivado por esse entusiasmo e compromisso de Déda, o próprio grupo decidiu, posteriormente ao seu falecimento, dar o nome de Marcelo Déda ao Complexo. Hoje, a maior termoelétrica do Brasil leva o nome de Leonel Brizola. Marcelo Déda sentir-se-ia muito honrado com essa homenagem e para nós, que sabemos de seu empenho no que se relacionava ao desenvolvimento de Sergipe, também é uma oportunidade de perpetuar seu nome”.

O presidente do Grupo GG Power, que é uma Joint venture formada entre a GenPower, a britânica LNG Golar Participações S/A e a EBrasil – Eletricidade do Brasil S/A, destacou o apoio recebido por Marcelo Déda quando, em 2012, uma equipe veio a Sergipe. Ele disse que, além de potencial locacional e vocacional, recebeu um grande apoio do Estado, que teve continuidade na gestão de Jackson Barreto.

“Sergipe mostrou ter possibilidade de conexão, para abrigar esses projetos é preciso conectar redes interligadas e existe uma condição muito propícia hoje do estado. Além do que, esse projeto contempla um terminal de regaseificação onde nós vamos receber gás importado para ser usado no projeto. Sergipe passa a ser um grande produtor de energia que é conectado na rede de distribuição nacional e isso passa a beneficiar todo o país. É importante dizer que o complexo pode chegar a 3 Gigawatts, então a ideia é que com as expansões, no futuro nos próximos leilões a gente vai ter ai uma possibilidade de ter aqui o maior complexo de termoelétrica do país, isso assegura para o país e para o Estado desenvolvimento, isso é o mais importante. Espera nos próximos anos, 2017 e 2018, a gente possa desenvolver esse outros projetos e quem sabe em sete ou oito anos está finalizado”, informou Marcos Grecco.

 “Essa é uma homenagem muito importante para todos nós. O complexo traz um investimento grandioso, que vai gerar milhares de empregos e desenvolvimento para o estado. Para nós é gratificante ver o nome dele ligado a um projeto tão relevante para o desenvolvimento do estado e que ele trabalhou muito para trazer para Sergipe”, afirmou Yasmin Barreto.

Cápsula do Tempo

Durante o lançamento da pedra fundamental, uma Cápsula do Tempo foi preenchida para ser reaberta em 30 anos. Além de condensar informações referentes ao Complexo, desde o planejamento do projeto, a Cápsula também guardará um resumo da biografia do ex-governador Marcelo Déda, um vídeo institucional do Instituto que leva seu nome e ainda um exemplar do livro Improvável Poética, que reúne textos do ex-governador.

 Complexo Energético

O Complexo de Energia prevê a implantação de mais duas usinas de geração termoelétrica: UTE Marcelo Déda e UTE Laranjeiras. Ao todo, gerará cerca de 3.000 megawatts de energia. As UTEs Marcelo Déda e Laranjeiras serão ofertadas nos próximos leilões de energia realizados pela Agência Nacional de energia Elétrica (Aneel) e pela estatal Empresa Brasileira de Pesquisa Energética (EPE). O complexo já possui licença prévia, expedida pela Adema, para instalação.

O grupo estuda ainda um projeto de viabilidade de outra fonte de energia renovável. O Governo já recebeu, por meio da Codise, projetos iniciais de viabilidade para a construção de mais um empreendimento de energia em Sergipe, de fonte solar, a ser realizado na Barra dos Coqueiros.

Os R$ 5 bilhões anunciados provêm de diferentes fontes, como explica Grecco: “esses recursos são aplicados com capital próprio de alguns investidores e cerca de 70% vem através de financiamentos, que vem parte de BNDES e parte de agências de crédito internacionais que financiam o projeto”. O grupo GGPower tem como parceiro investidor na Usina Termoelétrica, a Stonepeak Infrastructure Partners, fundo de investimento norte-americano, com sede em Nova York.

Segundo o presidente da EBrasil, Dionon Cantareli, esta é a maior operação do grupo. Irá proporcionar a maior oferta de energia elétrica e também de gás natural para Sergipe, contribuindo para o desenvolvimento e fortalecendo o comércio local e com a atração de novos investimentos que por ele virão. A disponibilidade de gás será importante vetor de atração de novas empresas contribuindo para a geração de empregos para a região.

“Nosso projeto é um dos maiores energéticos do mundo, devemos ser o décimo e será já na primeira etapa. Temos a certeza que esse projeto irá atrair outros investidores nacionais e estrangeiros que virão aqui implementar seus investimentos com energia gerada nesta usina, o que irá com certeza transformar em médio prazo o desenvolvimento econômico do Estado. Teremos ainda um excedente de 2 milhões de metros cúbicos/dia de gás natural que este empreendimento vai proporcionar e que serão comercializados em Sergipe, nos estados do Nordeste e nos demais estados da federação”, completou.

O representante da multinacional Golar Power, Eduardo Antonieli, também agradeceu ao Estado de Sergipe pela receptividade. “Desde o início a gente estava muito reticente com o nível de comprometimento do Estado em nos acolher para desenvolver uma obra dessa magnitude e até o momento tudo o que a gente tem encontrado aqui são braços abertos, muita transparência em todo o processo de licenciamento e implantação do empreendimento e a gente está bastante satisfeito com a forma com que Sergipe vem se comportando como Estado para acolher investimentos dessa magnitude com investidores internacionais”, disse, agradecendo aos demais parceiros Exon, com representantes presentes na solenidade, e GE que vai fornecer as turbinas, que são as primeiras do mundo com este nível de eficiência, baixo nível de emissões atmosféricas.

Operacionalização

As empresas GGPower e Exxon Mobil celebraram contrato para fornecimento de gás natural para a Usina Termoelétrica Porto de Sergipe. Simultaneamente à construção da UTE, a Golar/GenPower construirá uma unidade flutuante de regaseificação no Teminal Marítimo Inácio Barbosa.

A unidade recebe o gás em estado líquido e o devolve ao estado gasoso. A unidade industrial flutuante consiste de um navio de 400 metros de tamanho, que ficará fundeado na costa sergipana em local com profundidade superior a 20 metros, recebendo gás do exterior através de embarcações especializadas nesse tipo de transporte, chamadas navios metaneiros.

Com informações da Agência Sergipe de Notícias
Fotos: Jorge Henrique/ASN

Comentários desabilitados