CONHEÇA NOSSA LOJA!

[vc_row][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]

O secretário da Segurança Pública, João Eloy de Menezes, determinou empenho nas investigações sobre o suposto atentado contra o líder do conselho de Defesa da Criança e Adolescente do município da Barra dos Coqueiros, Marcos Antônio Cabral. João Eloy esteve reunido durante a tarde desta sexta-feira, dia 27, com a superintendente em exercício da Polícia Civil, delegada Katarina Feitoza; o comandante do 8 Batalhão da Polícia Militar, coronel Robson Ornelas; a suposta vítima, a deputada Ana Lúcia, e a presidenta do Fórum Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, Lídia Rêgo.

Na reunião, ficou firmado um Termo de Ajustamento de Conduta, subscrito pelos policiais e pela vítima, figurando os demais presentes na qualidade de testemunhas. “O termo está baseado em cinco exigências de comportamento das partes, cujo objetivo é manter o caso sob controle e fortalecer o respeito à dignidade da pessoa humana, garantir as integridades físicas e moral da liderança da Barra dos Coqueiros, e a submissão severa aos rigores da lei, na hipótese de descumprimento das normas de conduta estipuladas”, explicou o secretário João Eloy.

O secretário ainda frisou que todas as decisões foram tomadas sem prejuízo do normal e rigoroso andamento dos procedimentos que já estão sendo tocados pelas Corregedorias, tanto da Polícia Civil, quanto da Polícia Militar, além do inquérito policial já instaurado no âmbito da Delegacia da Barra dos Coqueiros e acompanhado pela Coordenadoria das Delegacias da Capital (Copcal).

Outra decisão importante por parte da SSP foi a garantia de acompanhamento permanente por policiais civis. “Ele já saiu da SSP em um carro da Polícia Civil, com os policias que vão, diuturnamente, acompanhá-lo”, destacou a delegada Katarina Feitoza. Nos próximos dias o inquérito policial e a perícia sobre o incêndio serão concluídos. “Já determinamos as dois corregedores – da PM e PC – agilidade nos procedimentos investigativos para que possamos esclarecer o caso e dar uma resposta rápida à sociedade sergipana”, salientou João Eloy.

[/vc_column_text][/vc_column] [vc_column width=”1/3″][vc_column_text] [/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Comentários desabilitados