CONHEÇA NOSSA LOJA!
Gestores estaduais e municipais discutem ações de saúde bucal em Sergipe

[vc_row][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]

Coordenadores de Saúde Bucal e de Centros de Especialidades Odontológicas (CEOs) estaduais e municipais se reuniram nesta segunda-feira, 5, para discutir as ações de saúde bucal em Sergipe. O encontro, que aconteceu no auditório do Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose), contou com a participação de Gilberto Pucca, coordenador de Saúde Bucal do Ministério da Saúde (MS).

Segundo a odontóloga Rosana Reis, gestora da Diretoria de Atenção Básica da Secretaria de Estado da Saúde (SES), a iniciativa foi da própria Coordenação Nacional de Saúde Bucal. “Esse encontro proposto pelo ministério tem como meta não só discutir as ações, como também debater sobre os indicadores e fazer uma reflexão sobre o trabalho dos profissionais sergipanos”, informa.

Ela acrescenta que o Governo Federal tem feito investimentos importantes na saúde bucal através do programa Brasil Sorridente. “Então, estamos aqui para fazer análises e avançar neste processo”, comentou Rosana Reis, que no evento apresentou a situação da saúde bucal em Sergipe. “Sugerimos este encontro porque a parceria entre União e Estado tem dado certo. A equipe da SES é empenhada e faz os resultados aparecerem”, enfatizou Gilberto Pucca.

De acordo com ele, há oito anos, a implantação de um CEO, que integra a média complexidade de saúde bucal, era algo impensável. “Antes, a saúde bucal era privilégio apenas de quem poderia pagar, mas hoje não. Esta área é parte integrante da saúde, é um direito e promove cidadania de fato”, disse o coordenador nacional.

Benefícios

Para a odontóloga Ana Paula Vieira, coordenadora do CEO de Nossa Senhora do Socorro, o encontro serve para estabelecer uma comparação entre o trabalho dos CEOs. “Apresentamos um levantamento do quantitativo de atendimentos e das especialidades ofertadas no nosso CEO”, disse Ana Paula, acrescentando que a unidade realiza em média 80 consultas por mês.

“Esta reunião é também relevante para repensarmos as práticas como gestor e também como profissional na atenção básica”, disse Marlos Cabral, coordenador de Saúde Bucal de Itabaiana. Para ele, a integração da atenção primária com a especializada proporciona o padrão de integralidade na rede de saúde bucal.

Conforme Rosiane Azevedo, técnica da Fundação Estadual de Saúde (Funesa) e coordenadora estadual dos CEOs, Sergipe já vem se preocupando com a área desde 2007, quando foi feito um diagnóstico em todo o estado. “Somente neste ano, já realizamos dois grandes eventos: este e a aula inaugural para os auxiliares de saúde bucal, que faz parte da política de educação permanente da SES”.

Segundo ela, em Sergipe, já estão em funcionamento os CEOs regionais de Boquim e Laranjeiras, administrados pela Funesa, mas no total serão oito: Capela, Nossa Senhora da Glória, Neópolis, Propriá, São Cristóvão e Tobias Barreto, além dos dois citados. Os CEOs municipais são os de Aracaju, Canindé do São Francisco, Estância, Itabaiana, Lagarto e Socorro.

[/vc_column_text][/vc_column] [vc_column width=”1/3″][vc_column_text] [/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Comentários desabilitados