CONHEÇA NOSSA LOJA!

[vc_row][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]

Estará em Aracaju na próxima sexta-feira, 4 de maio, o Coordenador Nacional de Combate ao Trabalho Escravo no Brasil do Ministério Público do Trabalho, o procurador Luiz Camargo. Ele participará do I Ciclo de Debates Sobre o Trabalho Escravo em Sergipe, promovido pelo Governo do Estado, através da Procuradoria Geral do Estado e das secretarias de Estado da Comunicação Social, do Trabalho, da Juventude e da Promoção de Igualdade Social.

O evento será realizado no auditório do Tribunal Regional do Trabalho da 20ª Região, e terá início às 8h. Luiz Camargo abordará o tema "O Ministério Público do Trabalho e o combate ao trabalho escravo no Brasil".

Também participará do evento a representante da Organização Internacional do Trabalho (OIT) no Brasil, Patrícia Audi, que falará sobre "O Trabalho Escravo no Brasil e no Mundo". O I Ciclo de Debates Sobre o Trabalho Escravo em Sergipe é o desdobramento e efetivação do ato solene de assinatura da Carta Compromisso contra o trabalho escravo pelo governador do Estado Marcelo Déda, no início do mês de março.

O Presidente da Associação Nacional dos Magistrados Trabalhistas (Anamatra), juiz do Trabalho, Cláudio Montessa, também integrará o evento, apresentando o tema "O Combate ao Trabalho Escravo no Brasil". Após as palestras, será exibido um documentário sobre a questão do trabalho escravo no Brasil, seguido de debates sob a mediação do procurador do Estado, Marcos Alexandre Costa de Souza Povoas.

Envolvimento

Para o procurador Geral do Estado, Edson Ulisses de Melo, em Sergipe não se tem informações claras sobre a existência de trabalho escravo, portanto, segundo ele, é de grande importância o evento e a parceria envolvendo efetivamente as instituições relacionadas com o tema – Ministério Público do Trabalho, Tribunal Regional do Trabalho/ 20ª Região, Ministério Público Federal, Ministério Público Estadual, Delegacia Regional do Trabalho, Associação Nacional dos Magistrados Trabalhistas, OAB e outros segmentos da sociedade civil organizada de Sergipe.

"Nosso objetivo é discutir e conhecer todas as formas de prevenção, como forma de evitar que tal crime, que fere a dignidade humana e fundamentos constitucionais, venha a correr em nosso Estado", destacou o procurador.

Deverão participar do I Ciclo de Debates Sobre o Trabalho Escravo em Sergipe, representantes do Ministério Público, magistrados, advogados, de entidades civis e o público em geral. As inscrições são gratuitas e podem ser efetuadas no auditório do TRT 20ª Região, local do evento.

[/vc_column_text][/vc_column] [vc_column width=”1/3″][vc_column_text] [/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Comentários desabilitados